search

Assédio no local de trabalho

2 de maio de 2019

Quando se fala em assédio, as pessoas logo associam a imagem de desrespeito a mulher firmada pelo machismo existente na sociedade pelo correr dos anos. Por mais que vivamos em um mundo inovado, moderno, com novas ideias e padrões, infelizmente ainda existe muito abuso nos locais de trabalho, e não somente contra mulheres, mas também contra jovens e pessoas mais desfavorecidas.

Neste artigo, iremos falar brevemente sobre o assédio moral e sexual no trabalho. Estes, se mostram existentes desde de que se instituiu a hierarquia laboral. Mesmo que não haja mais escravidão, ainda vivenciamos trabalhadores sendo submetidos a baixíssimas condições de trabalho ou extrema de exigência, com baixos salários e um péssimo tratamento. Isso se não for cogitada a ideia de trabalho escravo, que pode ser considerado um assédio moral extremo ou coação para que a pessoa trabalhe fora da sua área ou exerça mais funções que o que lhe é pago e até mesmo chantagens diversas.

Lembremos que, “toda e qualquer conduta abusiva (gesto, palavra, escritos, comportamento, atitude, etc.), que de forma intencional e frequente, fira a dignidade e a integridade física ou psíquica de uma pessoa, ameaçando seu emprego ou degradando o clima no trabalho é considerada assédio. O assédio pode assumir tanto a forma de ações diretas (acusações, insultos, gritos, humilhações públicas) quanto indiretas (propagação de boatos, isolamento, recusa na comunicação, fofocas e exclusão social).”

ENTENDAM: Nosso país criou normas que proíbem esses atos, e as mesmas normas estipularam a forma como se deve cobrar e tratar um funcionário/colega de trabalho.

Qualquer que seja, o descumprimento de normas, é direito do trabalhador procurar ajuda para resolver essas questões.

TIPOS DE ASSÉDIO MAIS COMUNS NO AMBIENTE DE TRABALHO

Infelizmente, a mulher é vítima da maior parte dos assédios que se pode relatar, mas estes podem ocorrer com qualquer um, e quem pratica, pode ser tanto mulheres, quanto homens e ambos podem configurar a figura da vítima e do assediador.

Num ambiente de trabalho, é possível que uma pessoa sofra: abuso físico, emocional, sexual, digital.

O físico, é onde existe qualquer contato intencional de um indivíduo em outrem, sem que este o conceda. E é classificado como abuso independente de quem o cometera: patrão, ou colega de trabalho.Exemplos:

Arranhar, socar, morder, estrangular, chutar, jogar algo em direção a vítima, puxões de cabelo, empurrões, segurar pela roupa, passar a mão pelo seu corpo e por dentro ou fora da roupa, olhar de forma intensa e desconfortante, impedir que saia ou entre em algum lugar, ou force você a ir a algum lugar e etc.

Já o abuso emocional, se trata de comportamentos não-físicos como ameaças, insultos, monitoramento constante, mensagens de texto excessivas, humilhação, intimidação, isolamento ou perseguição (“stalking“). Aqui entra um pouco do assédio digital, que é aquele que acontece online, através da utilização de tecnologias como as mensagens de texto, redes sociais para as práticas de bullying, assédio, perseguição ou intimidação dos colegas/funcionários.

Por fim e infelizmente, existe o assédio sexual, que se caracteriza por qualquer ação violenta que pressione alguém a participar de atos sexuais que esta não deseja ou coação para o mesmo fim. Também pode ser assim classificados os comportamentos que impactem a capacidade de alguém de controlar sua atividade sexual ou as circunstâncias em que ela ocorre, incluindo sexo oral, estupro e qualquer outra ação ligada a área sexual.

Qualquer dessas ações devem ser denunciadas para que as devidas providências sejam tomadas juridicamente e a pessoa responda pelos seus atos criminosos.

Assédio no local de trabalho
Fonte:
Dr.ª Sofhia Cortêz Belotti

Receba informações de inovações na advocacia.